Psicose




Você pode não ter visto Psicose, mas com toda a certeza já ouviu falar (ou viu) da cena de chuveiro mais famosa do cinema. Pois é, o mestre do suspense Hitchcock dirigiu esse cult baseado no livro homônimo de Robert Bloch.

A história é sobre Marion Crane, uma moçoila batalhadora que se rende ao dinheiro fácil e furta 40 mil dólares do seu patrão. Na fuga, indo em direção à cidade do seu namorado, pega a estrada errada e acaba parando no Bates Motel. Mal sabia ela que o simpático proprietário do estabelecimento, Norman Bates, não batia bem da cabeça e era atormentado por sua mãe possessiva e controladora.

O autor do livro, Robert Albert Bloch, foi um escritor americano apaixonado por contar histórias de terror, fantasia e ficção científica desde jovem – época dos seus primeiros contos e ensaios. Trouxe esses temas para suas obras, junto com os serials killers. Entre mais de 30 romances publicados, consagrou-se escrevendo Psicose em 1959 (inspirado na história real de Ed Gain). Daqui surgiram as sequências: Psycho II (1982) e Psycho House (1990). Ps: não encontrei edições em português.

#COMPARANDO & VICE CONVERSA

FICHA DO LIVRO

FICHA DO FILME

TítuloPsicosePsicose
Título OriginalPsychoPsycho
Lançamento1959 | Edição Brasil 20131960
Autor/DiretorRobert BlochAlfred Hitchcock
ClassificaçãoSuspenseSuspense
Editora/EstúdioDarkSideParamount Pictures
Páginas/Duração240 páginas1h49min
Avaliação★★★★★★★★


Bloch caprichou na montagem do livro. Em capítulos curtos aborda os diferentes pontos de vista de cada personagem, e ao fazer isso, retoma o tempo cronológico da trama também. Ele soube criar um entrelaçado de histórias que te faz ficar curioso e ansioso até o desfecho. O livro não era lançado no Brasil há quase 50 anos, e para a nossa alegria, a Editora DarkSide® produziu essa edição especial, um deleite, não?

Para quem não conhece, o mestre Alfred Hitchcock foi um inglês naturalizado americano que ficou mundialmente conhecido por seus filmes de suspense. Desde cedo trabalhou e viveu de cinema e produziu/dirigiu, em seus 80 anos de vida, mais de 60 longas. Suas obras tinham particularidades marcantes como: o clima de tensão, a música com batidas fortes, o olhar dos protagonistas, os efeitos de luz ou simplesmente as características psicológicas dos personagens.

Anthony Perkins, o Norman psicótico.
E como falar desse filme minha gente? Produzido em 1960, foi muito bem adaptado por Joseph Stefano. Tem no elenco Anthony Perkins, Janet Leigh e Vera Miles. Não deixa nem um pouco a desejar em comparação a obra, tem pequenas adaptações, mas é muito fiel. Destaco que no livro Norman é um homem baixo, gordo, antipático e velho, totalmente inverso ao do filme. Para quem tem medo, não se aflija, nesses 54 anos de terror e suspense fomos acostumados a ver coisa muito pior! Corram assistir. Opa, primeiro, o trailer:


Cartaz promocional da série
O longa também ganhou sequências, foram três: Psycho II (1983), Psycho III (1986) e Psycho IV: The Beginning (1990), todos com Anthony Perkins interpretando Norman Bates. O diretor Gus Van Sant produziu, em 1998, um remake com o mesmo nome. Em 2013, a A&E lançou a série Bates Motel que retrata a vida de Norman adolescente e como era a relação com a sua mãe antes dos acontecimentos do livro/filme. Por aqui, é transmitida pela Universal Channel.

O filme e sua produção são recheados de fatos interessantes. Vale ressaltar que o Hitchcock comprou anonimamente os direitos do livro e depois adquiriu todas as cópias disponíveis no mercado, para assim, evitar que as pessoas soubessem o final da história. Nenhuma produtora quis apostar nesse projeto,  então o longa custou somente 800 mil dólares e foi gravado em preto e branco - e acabou faturando 60 milhões.

Hitchcock manteve o clima de suspense até nos sets de filmagens. Os atores e outros membros da equipe tiveram que prometer não revelar nada sobre o filme e a parte final do roteiro não foi entregue a eles até o momento da gravação. Além disso, o cineasta manteve, ao longo de toda a filmagem, uma cadeira especial reservada para a Sra. Bates. Esse Alfred em, entendia do assunto!



O PRIMEIRO CINE BOOK CLUB – FILMES PARA LER 


Pesquisando material para o blog, encontrei o Cine Book Club, realizado pela Editora DarkSide®, a primeira editora no Brasil inteiramente dedicada ao terror e a fantasia. Amei a ideia e entrei em contato com a DarkSide® para ver se poderíamos realizar o Cine Clube em Santa Maria. E para minha surpresa, eles foram super atenciosos e apoiaram o evento, enviaram brindes para sorteio e produziram o material de divulgação. Convidei minha parceira de atividade literárias Camilla, do blog Companhia de Papel, e embarcamos em mais essa paixão por ler e ver.


Além de nós, a ação foi apoiada com o maior amor pela Livraria Athena também. Para completar convidamos a psicóloga Natália Cantarelli, que abordou as características dos personagens, e a minha amiga Maíra Bianchini, doutoranda em Comunicação, que nos trouxe informações e curiosidades sobre a série Bates Motel.  Depois de um papo descontraído, foi realizada a exibição do clássico do Hitchcock.


O Cine Book Club é a cara do blog Vice conVersa. Ei Editora DarkSide®, estamos de portas abertas para receber o próximo!

Beijos e Abraços,
Bruna


2 comentários:

  1. Matou a pau esse post, Bruninhaaaa!!!
    Cool, ótima resenha, informações precisas e preciosas!!

    Bjuuu

    ResponderExcluir